sábado, 23 de julho de 2011

Mangueira





Nome Científico: Mangifera indica


Sinonímia: Mangifera domestica, Mangifera sativa

Nome Popular: Manga, Mangueira

Família: Anacardiaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Ásia

Ciclo de Vida: Perene

A manga é o fruto da mangueira, uma árvore longeva, de copa densa, perene e muito frondosa, que pode alcançar 30 metros de altura. Seu tronco é largo, e apresenta casca escura, rugosa e látex resinoso. As folhas são coriáceas, lanceoladas, com 15 a 35 cm de comprimento. Avermelhadas quando jovens e verdes com nervuras amarelas quando maduras. De floração abundante e ornamental, a mangueira apresenta inflorescências paniculadas e terminais, com flores pequenas e polígamas.

As mangas são frutos muito bonitos, perfumados, do tipo drupa, de formato ovóide-oblongo, mais ou menos alongado, de acordo com a variedade. Sua casca é fina, porém resistente, e pode apresentar cores diversas entre o verde, vermelho, rosa, amarelo ou laranja, com ou sem manchas pretas. A polpa é originalmente fibrosa, suculenta, de coloração amarela ou alaranjada. No entanto, com o melhoramento genético, frutas menos fibrosas, mais doces e aromáticas já estão largamente disponíveis. Sua polpa pode ser consumida in natura, em sucos, doces ou "chutney", sendo rica em vitamina A. O fruto apresenta uma única semente, grande e fibrosa.

A manga é uma das mais importantes frutas tropicais e as principais variedades comerciais são: "Tommy Atkins", "Palmer", "Keitt", "Haden", "Coração de boi", "Carlota", "Espada", "Van Dick", "Rosa" e "Bourbon". A mangueira também é amplamente utilizada no paisagismo, pelas suas qualidades ornamentais e sombra agradável, sendo plantada inclusive em vasos. No entanto, deve-se evitar a utilização da mangueira em vias públicas e estacionamentos, pois os frutos grandes podem danificar os automóveis e provocar sujeira, por ocasião de quedas.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, profundo e irrigado a intervalos periódicos. Rústica, pode-se no entanto cultivá-la em solos pobres, com menor produtividade, mas dependente de irrigação. Planta tipicamente tropical, a mangueira não tolera o frio excessivo, ventos ou geadas. Multiplica-se por sementes, enxertia ou alporquia.



Autor: Raquel Patro



FONTE: http://www.jardineiro.net/br/banco/mangifera_indica.php

quarta-feira, 20 de julho de 2011

200 PUBLICAÇÕES !!!!




Olá, Bom dia, gostaria agradecer a todos por essa marca importante no Blog, agradeço a todos que leem as publicações que coloco em meu blog, esse blog é feito para vocês mesmo, pesquiso sobre essas plantas para vocês mesmo.
Obrigado Blogueiros, Obrigado mesmo de Coração.

Miniabóbora ou (Cucurbita pepo)





Á primeira vista, a miniabóbora parece só um enfeite para pratos requintados. Porém, ela é mais do que isso. Trata-se de uma iguaria das mais festejadas pela alta gastronomia. Dá até pena de cortar a tampa desta delicada abobrinha e tirar sementes para colocar apetitosos recheios antes de leva-la ao forno. Mas quem supera essa etapa não se arrepende. Nos Estados Unidos, as miniabóroras são divertimento para a criançada na criação das famosas Jack O'Lantern, as lanterninhas usadas no Halloween, o dia das Bruxas que ocorre todo ano em 31 de Outubro. Divertimento maior ainda, para crianças e adultos é ver a plantinha crescer, florescer e produzir suas abóboras. Para isso, não é preciso muito espaço. Apesar de atingir 4m de comprimento, os ramos da miniabóbora podem ser conduzidos em treliças, tudo por conta das gravinhas que se agarram nas estruturas. Um local que recebe sol boa parte do dia, um vaso com substrato rico em nutrientes e estacas para sustentação são suficientes para começar o cultivo.
No Brasil, ainda é considerado luxo passar no supermecado e comprar essas miniaturas de abóbora para acompanhar a refeição. O preço da hortaliça é elevado e ela não é encontrada com facilidade. Isso tem uma explicação. "As miniabóboras são plantas muito exigentes em nutrição e sua produção so é possível em estufas. Isso torna o produto mais caro explica Cyro Cury Abumusi, produtos da Fazenda Itauaú. Isso acontece por exemplo com a variedade Pumpkin Kino, que tem até a casca comestível e gosto parecido com a batata-doce.
Geralmente, essa abóbora tem por volta de 12cm de diâmetro e pesa até 400g.
Existem apenas três produtores da variedade Pumpkin Kino em nosso país " A venda de suas sementes é controlada por uma distribuidora e só produtores selecionados podem adquirir" explica Cury. Pelo visto, é uma maneira de manter a produção limitada e o produto valorizado.
E não adianta: plantar sementes retiradas da miniabóbora, dificilmente produz os pequenos frutos comestíveis e ornamentais.
Felizmente, para o jardinista interessado em cultivar abóboras em miniatura, existe a variedade Mini Jack, vendida em forma de sementes pela empresa gaúcha Isla. Trata-se de uma variedade da abóbora-moranga comum , com de cor amarelo- alaranjadae polpa creme. A diferença é que seus frutos medem 8 cm de diâmetro e têm entre 4 cm e 6 cm de altura, Já o peso varia entre 120g e 150g.

FONTE: Revista Natureza, Pág:14 a 17, Ed:277, Fevereiro de 2011.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Eucalipto Vermelho ou (Corymbia ficifolia)





Nativo de uma região, próxima a cidade de Walpole, na Austrália, o Eucalipto Vermelho "explode" com suas inflorescências de inúmeras flores vermelhas ao longo do verão. Podem ser brancas ou rosas e graças a elas, a planta é cultivada em parques e jardins, isolada ou em grupos. Árvore típica de clima subtropical, apresenta crescimento lento, e alcança até 15 m de altura. Prefere solo arenoso com cascalho, mas se adapta a outros tipos.

FONTE: Revista Natureza, Pág:11, Ed:277, Janeiro de 2011

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Árvore-guarda-chuva.




Nome Científico: Schefflera actinophylla


Sinonímia: Brassaia actinophylla, Allophylus actinophylla

Nome Popular: Árvore-guarda-chuva, Cheflera, Árvore-polvo, Brassaia, Cheflera-da-folha-grande

Família: Araliaceae

Divisão: Angiospermae

Origem: Austrália, Nova Guiné, Java

Ciclo de Vida: Perene

A árvore-guarda-chuva é uma planta nativa de florestas tropicais úmidas da Indonésia e Oceania. Apresenta tronco ereto, único ou pouco ramificado, e raízes agressivas e superficiais, que afloram a superfície do solo nas árvores mais velhas. Suas folhas são grandes, compostas, digitadas, com sete folíolos pêndulos, elípticos a ovalados, brilhantes, de cor verde escura e textura semelhante ao couro. As inflorescências surgem no final da primavera e início do verão e são muito grandes e vistosas, despontando acima da folhagem. Elas são do tipo rácemo, com longas divisões recobertas por mais de mil flores pequenas, de cor vermelha. Os frutos que se seguem são globosos, pequenos e vermelhos, contendo 10 a 12 sementes com formato de rim. Tanto as flores como os frutos são muito atrativos para as aves silvestres, que se banqueteiam com o néctar abundante e polpa suculenta. A dispersão é feita pelos pássaros, e as sementes são capazes de germinar nos galhos de outras árvores, tornando-se epífitas.

A Árvore-polvo, como também é chamada, é bastante versátil. Ela pode ser plantado no jardim, cumprindo seu papel de árvore, ou pode ser conduzida em vasos, quando jovem, servindo como uma bela folhagem para adornar interiores. Sua tolerância à pouca luz, a tornam uma planta especial para esta função. No entanto, caso for utilizada em interiores, o ideal é posicioná-la em local bem iluminado, preferencialmente que pegue o sol da manhã ou da tarde, e protegida de correntes de ar ou ar-condicionado. Além da espécie típica, há duas variedades, a "Nova", com folíolos recortados e a "Variegata", com folíolos manchados de cor creme. Por sua fácil e ampla propagação, esta espécie pode se tornar invasiva em determinadas situações.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano de implantação ou caso esteja em vaso. É uma planta muito rústica, que dificilmente adoece. É tolerante ao frio e a curtos períodos de estiagem. Não tolera geadas fortes, por isso deve-se evitar plantá-la em jardins de clima temperado. Multiplica-se por sementes, alporques e estaquia dos ramos.

Autor: Raquel Patro

FONTE: http://www.jardineiro.net/br/banco/schefflera_actinophylla.php

Euterpe olearacea Mart.

Pequeno, redondo e de cor azul-noite, quase negro, o açaí pode ser considerado a pérola da Amazônia. O açaizeiro faz parte da família da...